segunda-feira, 30 de abril de 2012

Fragilidade...





FOTO: GOOGLE
Passado e presente...
Fugidia e com medo,
me vejo em outros cantos.
Em meu canto de colibri,
sinto -me livre!
Cantando em outros cantos,
vou sufocando meu pranto.
De alma vazia e arisca,
tento sonhar com novos dias.
Sou eu...Vestida de poesia,
para enganar a minha vida!
Saio de mansinho na ponta dos pés.
Sem fazer alarde...Silêncio!
Cubro-me com o véu da noite,
por detrás da neblina, meu açoite!
Escondo nas sombras os meus defeitos.
Torno-me inferior aos teus preceitos.
Quero fugir, pois estou com medo!
Quero ser feliz! Mudar meu destino.
Mas falta coragem para tanto.
Sozinha, perdida...Afogo-me nas lágrimas
que caem, brigam com meu rosto.
Teimosia de uma alma triste, sofrida,vazia!
Já não sou aquela mulher...
Tão forte...Tão destemida!
-Rosa Azul-

7 comentários:

wcastanheira disse...

-Escondo na sombra o meu defeito...Belo texto, um poema carregadinho de sentimentos, verdades e delírios naturais da poesia, este equilibrio é q faz vc ser tão deliciosa de ler, sentir e interpretar, pra vc poetiza, bjos, bjos e bjossssssssssssss

edumanes disse...

Depois do passado
Aqui me encontro no presente
Para um futuro pensado
Que não me deixe descontente.

Fugir para onde não sei
Daqui não pretendo sair
O melhor sempre procurei
Mas nem tudo me fez sorrir!

A não ser a Rosa Azul
Por ela aqui eu venho
Por ser a única luz
Que no meu caminho tenho!

boa quarta-feira para você
um abraço
Eduardo.

Yasmine Lemos disse...

Não estava conseguindo comentar aqui rs
saudades lindona,sua poesia é forte.
beijo

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Amiga Simone!!
Hoje vi que vc voltou com os comentários.Pois é, acho que vc não entendeu quando coloquei seu nome na minha árvore.Era para vc mesmo,tanto é,que se vc notar, o seu nome lá já "direciona" o link direto pro seu blog.Tive que perguntar ao meu cunhado como fazer para entrar em contato com vc para poder lhe avisar do meu post sobre as flores do sakurá. Mas tudo bem, hoje vi que vc voltou aos comentários.E tb não vi nada de mais na sua forma carinhosa, continue assim, doce como vc sempre se mostrou.Quanto ao poema postado, não preciso dizer que é lindo, bem romantico.Parabéns à sua inspiração.Um ótimo dia para vc!Um bjo amigo, Rubi.

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Amiga Simone!!
Hoje vi que vc voltou com os comentários.Pois é, acho que vc não entendeu quando coloquei seu nome na minha árvore.Era para vc mesmo,tanto é,que se vc notar, o seu nome lá já "direciona" o link direto pro seu blog.Tive que perguntar ao meu cunhado como fazer para entrar em contato com vc para poder lhe avisar do meu post sobre as flores do sakurá. Mas tudo bem, hoje vi que vc voltou aos comentários.E tb não vi nada de mais na sua forma carinhosa, continue assim, doce como vc sempre se mostrou.Quanto ao poema postado, não preciso dizer que é lindo, bem romantico.Parabéns à sua inspiração.Um ótimo dia para vc!Um bjo amigo, Rubi.

Van disse...

Oi Simone,

linda poesia, desabafo das dores da alma, que ora cor, ora dor, vai se alternando e escrevendo nossa história.

Beijos

ONG ALERTA disse...

Mudar é ter coragem...beijo Lisette.